Avançar para o conteúdo principal

Moçambique - Missão em Lisboa

Há muitos anos atrás, ainda estudava naquela Escola de Enfermagem, onde me apercebi que a minha vocação era a Psicologia, senti o apelo da ajuda missionária.
Hoje, Moçambique está a viver um dos períodos mais difíceis da sua existência e eu continuo por Lisboa.
Penso, por exemplo, naquela família moçambicana que ficou apoiada numa árvore, tentando sobreviver ao ciclone, com todas as consequências físicas e psicológicas que daí decorreram.

"A resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas - choque, stress, algum tipo de evento traumático, etc. - sem entrar em surto psicológico, emocional ou físico, por encontrar soluções estratégicas para enfrentar e superar as adversidades."
E por falar em resiliência, enalteço a força deste povo, que neste momento luta a todo o momento, muitas vezes apenas para beber água não contaminada. Que perdeu entes queridos, que não tem sequer um tecto para se abrigar, ou até crianças que não sabem dos pais dos quais dependem.

Segundo Madre Teresa de Calcutá, "Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota no mar, mas o mar seria menor, se lhe faltasse uma gota".
Sinto o apelo missionário hoje em dia, tanto ou mais do que o senti pela primeira vez há cerca de 30 anos, mas não será a Psicologia uma Profissão de Ajuda ao Outro?
Não a consigo conceber de outro modo. Apenas como uma Profissão de Relação, de Ajuda, de Paixão, de Missão.
E vou tentando ser mais uma gota de ajuda neste mar, que somos todos nós nesta sociedade.

E vou ficando por Lisboa, trabalhando numa antiga Associação que cuida de Mulheres que precisam de ajuda para serem mais felizes e no meu Consultório com todos aqueles que me procuram com pedidos de ajuda.
Ajudo pessoas a pensarem em conjunto comigo, para resolverem problemas, sintomas, ou simplesmente para se conhecerem melhor.
Penso em Moçambique, mas vou preenchendo o "mar da solidariedade" por aqui.
É, vou ficando por Lisboa...

Conceição Santos Costa

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Bullying Psicológico

Um dia aprendi na Faculdade o que era a palavra "Assertividade" - Capacidade para nos impormos sem sermos agressivos. Falando agora em Bullying, não serão aqueles que tentam impor-se, mantendo a sua personalidade junto do grupo de pares, que mais sofrerão de bullying? O Ser Humano, sendo intrinsecamente relacional, tenta durante toda a sua vida em sociedade um equilíbrio instável entre a sua individualidade e o espírito de grupo ao qual pertence. O agressor, manifesta geralmente traços de Psicopatia, utilizando defesas narcísicas poderosas, que mascaram muitas vezes uma enorme insegurança. A vítima, frequentemente seleccionada por ser mais introvertida ou diferente, tenta espontaneamente ser ela própria, mesmo que fugindo aos padrões vigentes. Sabemos que a Adolescência se caracteriza pela inclusão nos grupos de pares, como forma de separação da família de origem, em preparação para a fase adulta, para a independência. Mas não perdurará este equilíbrio entre o indivi

Deixar de Fumar

Deixar de Fumar     Algum dia pensou deixar de fumar?   Vários são os malefícios do tabaco, uma vez que pode trazer doenças como o cancro, doenças cardíacas e outras. Não esqueça que ele é uma das causas mais importante de morte. Do fumo do tabaco fazem parte substâncias tóxicas como o monóxico de carbono e o alcatrão. O que o torna dependente é a nicotina, que está presente nos cigarros, cigarrilhas e charutos. Fumar é uma dependência, uma adicção, que lhe pode tirar a vida. Para deixar de fumar torna-se muito importante   perceber as razões para o deixar de fazer e as recompensas que irá adquirir. Em relação às razões para deixar de fumar, podemos pensar na melhoria da sua saúde e da sua qualidade de vida, assim como no receio de ter uma doença. Por outro lado, pode querer dar o exemplo, ter aprovação familiar e social, auto-disciplina ou respeitar os direitos dos não fumadores. Podemos igualmente falar da questão monetária, poque se poderá poupar bastante din

"Um Colo. Orgulho em ser Psicoterapeuta!"

"Um Colo. Orgulho em ser Psicoterapeuta!" (Escrito em 2017)   A minha experiência de mais de 20 anos como Psicoterapeuta, leva-me a sentir que o Ser Humano procura essencialmente um "cólo" (no sentido global da palavra). Alguém que se interesse genuinamente por ele, que esteja motivado para ser empático, que o apoie a lidar de uma forma mais feliz com o seu contexto de vida e com os outros. Sempre, é claro, não descurando os conhecimentos científicos, as técnicas, a experiência relacional profissional e a atualização teórica." 26/10/2021 Não me identifico com a neutralidade de um Técnico de Saúde Mental. Existem sempre sentimentos (contra-transferência) e sendo o Ser Humano, um Ser relacional, os afectos estão igualmente sempre presentes. Um Psicoterapeuta deverá, na minha opinião, ter capacidade de entrega e vocação. C.S.C.